Similaridades e diferenças entre a mitologia nórdica e greco-romana

O surgimento das crenças e práticas escandinavas e germânicas, são originárias do passado comum indo-europeu, ampliadas com as tradições e os elementos nativos das tribos que já moravam no norte e nordeste europeu, lá existindo desde a pré-história. Foi comprovado, através de

As deusas e o princípio feminino na mitologia nórdica

As poucas referencias sobre arquétipos tão relevantes e importantes como as Nornas, Frigga, Freyja, Nerthus, as Senhoras Brancas entre muitas outras, não significam que elas eram menos honradas e reverenciadas do que seus cônjuges ou filhos. Desde o seculo I e.c. , quando o escritor romano

Celtas e os ecos do outro mundo

O Outro Mundo celta é uma dimensão estranha e sobrenatural onde não vigoram as leis terrenas de tempo e espaço. No Outro Mundo está a terra dos mortos, o reino dos deuses, as ilhas ocidentais dos mitos e lendas, o reino submarino e as colinas dos encantados. Os seres humanos que se

Druidas e bardos, os guardiães da alma

Uma sociedade que acredita numa dimensão extrafísica da vida – as profundas verdades que se ocultam por trás do véu da vida terrena – investe sua fé em especialistas talentosos, capazes de servir de intermediários entre os dois mundos: os videntes, os druidas e os bardos.

A Sabedoria da eternidade

Os celtas eram fascinados pela imagem do nó sem fim – um modo de expressar o infinito em um padrão tangível. As linhas do nó, presente em monumentos e manuscritos, são torcidas e entrelaçadas, mas sempre voltam ao ponto de partida. Nas narrativas das jornadas ao Outro Mundo,

Culpa, o instrumento de controle das religiões

Com o fim da cultura religiosa aprendemos a pensar que os erros não são nossos, que são dos grupos, das sociedades ou das estruturas. O inferno são os outros. Foi um dos inventos mais extraordinários que os manuais não registram: isso costuma acontecer com os inventos mais extraordinários.